Adriana Esteves 

“Arte promove a libertação das pessoas enquanto o crime as degrada”

‘Arte promove a libertação das pessoas enquanto o crime as degrada’

Em uma reunião com pessoas ligadas às áreas de artes visuais e cultura na casa da produtora Paula Lavigne foi o pontapé inicial para o movimento #342artes. A campanha surgiu como uma resposta ao cancelamento da exposição “Queermuseu” pelo Santander Cultural (Porto Alegre – RS) e pela performance de Wagner Schwartz no MAM (SP).

Artistas como Adriana Esteves, Fernanda Montenegro, Caetano Veloso, Marisa Monte, Fernanda Torres, Marcos Caruso, Alinne Moraes estão entre os participantes da campanha. Nas palavras de Fernanda Montenegro. “Tudo é cultura, inclusive a cultura de repressão. Mas só há um tipo de cultura que realmente constrói um país: a cultura da liberdade”.

Um dos objetivos da campanha é trazer a tona discussão sobre a onda conservadora/moralista que assola o país onde artistas, defensores de uma  sociedade plural, estão sendo vítimas de perseguição e achincalhados nas redes sociais.

Nós, do site Drivla, apoiamos esse movimento, ficamos mega orgulhosas de ver o nome da Adriana envolvido. Para nós, a arte deve ser provocativa, tendo a transgressão como uma característica ventral da Arte. No seu sentido mais íntimo ela provoca o homem a quebrar seus paradigmas, libertar-se de si e das fronteiras do seu tempo e que convide o expectador à reflexão.

Veja o vídeo

Posts relacionados

Leave a Comment

Pular para a barra de ferramentas